Rev. Dr. Billy Graham: Tristeza pela Morte e Alegria pelo Legado.

À medida que as notícias da morte do Rev. Dr. Billy Graham aos 99 anos de idade espalharam pelo mundo hoje, a comunidade cristã se despediu daquele que ajudou a definir a mensagem cristã das últimas décadas, mais do que qualquer outro. Bispo Efraim Tendero, Secretário Geral da Aliança Evangélica Mundial (WEA), observou: "Ninguém mais definiu a essência da fé evangélica do que o Dr. Graham. Ele foi o dom e o instrumento de Deus para o crescimento e o desenvolvimento do movimento evangélico de hoje ". Ele teria pregado pessoalmente para cerca de 100 milhões de pessoas em suas diversas reuniões públicas desde meados do século passado. Ele deu foco e definição ao que significava nascer de novo em Cristo e a que Ele nos chama a dar testemunho do amor e da mensagem de Jesus. Durante seu tempo, o Dr. Graham foi a voz dos evangélicos, uma comunidade de cristãos que cresceu de 90 milhões no início dos anos de de 1960 para 600 milhões hoje. Durante suas viagens mundiais, sua presença profética e pastoral foram confirmadas. Sua clara mensagem bíblica e sua liderança profundamente respeitada deram aos evangélicos uma voz, uma identidade e uma visão clara. Não só sua pregação atingiu milhões de pessoas, mas sua visão e energia se traduziram na vida de gerações de líderes. Ao longo de sua vida, ele também teve um profundo interesse pelo mundo da Aliança Evangélica Mundial (WEA, da sigla em Inglêsa). Em 1968, no momento em que a WEA precisava de um ímpeto adicional, ele entrou e forneceu recursos para o relançamento e a internacionalização do trabalho. Os líderes da WEA estiveram fortemente envolvidos no Congresso de Lausanne em 1974, onde Graham e John Stott convocaram 2.500 líderes da igreja para se reunirem em Lausanne, na Suíça, e remodelaram o testemunho evangélico, chamando os cristãos para que se afastassem de apenas ver o Evangelho como uma ação interior da graça, para percebe-lo como ministério e chamado para o mundo em todas as suas necessidades. O Pacto de Lausanne tornou-se uma nova referência teológica e missionária para o ministério cristão. Um legado de enorme importância. Na semana seguinte ao encerramento do Congresso, o Dr. Graham tomou tempo para assistir à Assembléia Geral da WEA nas proximidades de Chateau d'Oex. Ao longo de seu longo ministério, ele continuou a encorajar a WEA e cada uma das alianças nacionais para assegurar que os resultados de seus esforços evangelísticos fossem dirigidos para a igreja, com a qual as Alianças Evangélicas se dedica a trabalhar. Vivendo por quase um século, ele havia dito: "Vou pregar até que não haja respiração em meu corpo. Fui chamado por Deus, e até que Deus me peça para me aposentar, não posso. Seja qual for a força que tenho, seja qual for o tempo que Deus me deixa, será dedicado a fazer o trabalho de um evangelista, enquanto eu viver ". Seu ministério qualifica a alguém que foi citado como uma das pessoas mais queridas de sua geração. Evitando a afiliação política, seu ministério reuniu cristãos de todas as comunidades. Sua humildade, um destino de sua vida, não só permitiu que pessoas de todos os lados se juntassem ao testemunho comum, mas a clareza de sua mensagem nunca vacilou. A sua fidelidade à cruz de Cristo, a centralidade na sua vida e morte, foi um convite para que milhões de pessoas aceitassem o pagamento dos pecados e vivessem uma vida centrada em Cristo. O Brasil teve o privilégio de contar com algumas visitas e realização de cruzadas evangelísticas com o Dr. Billy Graham. A primeira grande cruzada evangelística foi em setembro de 1962, quando ele pregou 6 vezes em São Paulo. Notícias da época nos dão conta que “o público lotou as arquibancadas ao estádio do Pacaembu, em São Paulo, para ouvir seu sermão”. Esse importante pregador do Evangelho pelo mundo, foi conselheiro de presidentes americanos de ambos os partidos, como John F. Kennedy, Richard Nixon, Ronald Reagan e Bill Clinton; participou de audiências com autoridades religiosas como o Papa João Paulo II e se reuniu importantes de Chefes de Estado, como a rainha Elizabeth II. A passagem do Dr. Graham deixa um vazio que inevitavelmente será preenchido à medida que o Espírito levantar novas lideranças para as próximas gerações.

Adaptado da nota da Aliança Evangélica Mundial

 

Imprimir