Capelania Evangélica: Uma Ação de Cuidado com o Próximo

Há vários anos estou envolvido com as capelanias, especialmente a prisional. Nesse tempo percebi que o despreparo de alguns capelães acaba dificultando (ou até impedindo) o trabalho dos demais.

Você já deve ter ouvido casos de pessoas ungindo indiscriminadamente os enfermos nos hospitais, contrariando todas as regras de higiene e de saúde. Deve também ter ouvido sobre empresários que marcam celebrações religiosas (cultos ou orações) com todos os funcionários, quase que obrigando que estes participem.

Essas dinâmicas decorrem da confusão – equivocada – entre capelania e evangelização. Embora as ações de capelania envolvam o anúncio da salvação em Cristo, não se limitam a isso. A ansiedade pela conversão das pessoas, ainda mais se essa conversão for em grande número, tolhe outras perspectivas bíblicas para o envolvimento com a assistência religiosa.

Entre essas perspectivas está o cuidado com o próximo, independentemente da fé que ele professe. Entender que o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus deve fazer toda diferença em nossa prática assistencial. Ainda, outra motivação está em levarmos os valores cristãos aos indivíduos, auxiliando-os na mudança de comportamentos. Aqui reside o “interesse público”, capaz de fazer com que o Estado se socorra das Igrejas com vistas à transformação social.

Embora haja peculiaridades ministeriais nas diferentes áreas de capelania, existem muitos temas e elementos que são comuns a todas elas. Nessa linha estão, por exemplo, alguns aspectos jurídicos (como laicidade e liberdade religiosa), a secularização, o sincretismo e o aconselhamento a partir da ética cristã.

Além disso, todos precisamos pensar na elaboração e na implantação do projeto de capelania em si. Qual a realidade que você enfrenta? Que atividades você pretende desenvolver? Essas ações atendem, de fato, à realidade diagnosticada? Quais são as metas e os custos do seu projeto? As respostas a essas perguntas são fundamentais para a efetividade da assistência religiosa que será prestada.

Pensando nessas (e em outras) questões é que escrevemos o livro “O que você precisa saber sobre capelania: um manual para elaborar, implantar e revisar seu projeto de assistência religiosa”, lançado pela Trans Mundial. Trata-se de uma apresentação minuciosa de diretrizes fundamentais aplicáveis a todas as capelanias, aliando teoria e prática.

Que Deus nos abençoe, fazendo com que o clamor dos necessitados chegue aos nossos corações, despertando vocações para a prática cristã da misericórdia, da compaixão, do perdão e do amor.

O autor, Antonio Carlos da Rosa Silva Junior, é presbítero na 5ª Igreja Presbiteriana de Juiz de Fora, MG. Doutor e Mestre em Ciência da Religião, possui graduação em Direito e em Teologia. É autor, entre outros, dos livros “O que você precisa saber sobre capelania: um manual para elaborar, implantar e revisar seu projeto de assistência religiosa” (RTM, 2018), “Como anunciar o evangelho entre os presos: teologia e prática da capelania prisional” (Ultimato, 2016), “Deus na prisão: uma análise jurídica, sociológica e teológica da capelania prisional” (Betel, 2ª edição, 2015) e “A verdade os libertará” (SBB, 2015). Contatos: (32) 9.8875-2610 e Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Imprimir